sexta-feira, 24 de maio de 2019

Quando a única solução de TODOS os professores é VOTAR


A verdade é que os resultados das europeias são um autêntico barómetro para os ditos partidos do arco governativo (PS, PSD e CDS) para as legislativas que se avizinham. aqui disse e repito, os professores contratados não devem votar nesses partidos sendo essa a melhor forma de demonstrar um claro sinal de descontentamento.  

Essa eventual perda de apoio nas urnas poderá levar esses partidos a serem obrigados a reorientarem os seus programas eleitorais nas legislativas e apoiarem a Educação Pública e os seus professores. 

Apelo assim a um voto consciente, com propriedade, com reflexão através da consulta dos programas eleitorais disponíveis dos partidos que escolherem.  No meu caso, a minha escolha está feita (aqui) e a vossa?





(Arquillect)

Não me parece justo deixar os jovens com o fardo de combaterem sozinhos por mudanças políticas em resposta às alterações climáticas...



...quando o problema é de toda a humanidade. Não escondendo a minha orientação de voto, avanço que o meu voto nas europeias será no Partido Livre (aqui), como sendo uma verdadeira alternativa com ideias para a Europa, como é caso do "New Green Deal" (aqui) em resposta às alterações climáticas e pela criação de empregos com base nesse plano. 

Todos os votos contam e espero que o meu conte em defesa de um plano de combate à crise climática e que impeça um "bloco" de direita cada vez mais nacionalista de tomar controlo do Parlamento Europeu e, consequentemente, controlo das nossas vidas. E também de um partido que tenha como base a defesa da Educação Pública como é o caso. 

Eles (os jovens) ainda não podem votar pela mudança, mas nós podemos



terça-feira, 21 de maio de 2019

Não deixem de ver...



Nomeadamente a partir do minuto 22.


(RTP)

Sugestão de texto para relatório de autoavaliação da ADD para os professores contratados lesados nos descontos da S.S.


Na entrega do relatório de autoavaliação da ADD podem colocar um pequeno texto semelhante a este para demonstrar que o trabalho docente desenvolvido contempla uma componente lectiva e uma componente não lectiva, indissociáveis e ambas essenciais para assegurar em pleno as funções lectivas, o cumprimento do P.A.A. e, de um modo geral, o funcionamento da escola. 


"Apesar de não estar a ser devidamente contabilizada, para efeitos de contribuições para a Segurança Social, a componente não letiva do meu horário como tempo efetivo de prestação de trabalho, não deixei de cumprir escrupulosamente todo o serviço letivo e não letivo necessário para a preparação e organização das atividades letivas e para o processo de avaliação das aprendizagens dos alunos, bem como de participar em todas as reuniões para as quais fui convocado ( indicar quais ), e participar nas atividades do âmbito do Plano Anual de Atividades. Enquanto docente que se encontra exclusivamente ao serviço deste Agrupamento, contesto esta situação, salientando que não me encontro a prestar funções docentes em regime de tempo parcial, dado que celebrei com o Agrupamento um contrato de trabalho em funções públicas a termo resolutivo incerto, tendo desenvolvido a tempo inteiro as atividades do âmbito da componente letiva e não letiva de que este relatório é reflexo nos diferentes parâmetros que contempla."

Auxiliar de memória: aqui


(Doug Wheeler)



quinta-feira, 16 de maio de 2019

Qual foi o pedido mais bizarro solicitado pelo senhor Diretor? Respostas parte I


"A situação mais bizarra foi um processo disciplinar que me foi posto por um diretor por ter feito um jornal de cartoons na escola. A inspeção achou muita piada ao jornal e acabei a jantar uma mariscada em casa do inspector. Já lá vão 32 anos e era o meu 3° ano de docência num local a 300 km de casa... O diretor chamava se Felizardo. 😉 Recordar é viver....." (P.S)



"A situação mais “anormal” foi ser nomeado para vigiar todas as provas da PAAC (antigos exames para colegas contratados), durante 3 dias seguidos. Obviamente que fiz greve à vigilância nos três dias. Jamais me iria prestar a esse papel ridículo de vigiar colegas. Como represália, o Sr. Diretor descontou-me 3 dias completos no vencimento, apesar desses dias também corresponderem a tarefas de avaliação (2° período), inclusive, assinei pautas de avaliação... Claro que, passados dois anos, a ação foi ganha e teve de repor o dinheiro que descontou a mais. Faltaram os juros." (A.M)

"Uma carta registada a mandar-me interromper a licença parental e apresentar-me ao serviço. LOLOLOLOL" (J.F.O)



E vocês? Qual foi o pedido mais bizarro que vos foi solicitado por um diretor?  

Coloquem as vossas histórias ou na caixa de comentários, ou no "livro de reclamações". Vamos partilhar algumas histórias...



(Scorpion Dagger)



O cartaz sindical tem falta de causas de "indignação"?


Os professores lesados pelas ultrapassagens, professores contratados lesados nos descontos da Segurança Social e os professores das AEC não são causas de indignação suficiente para serem mencionadas no cartaz?

E para aqueles que advogam "ferozmente" que o cartaz "cobre" todas as causas, inquiro-me por que é que não é a primeira vez que isto acontece? Basta ver aqui e aqui



(Plataforma Sindical)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...